ITweb - Criação de Sites em Sergipe

Blog

Neuromarketing e Webdesign - 3 dicas para aplicar em seu website

Neuromarketing e Webdesign - 3 dicas para aplicar em seu website

  • 29/05/2017

1. Apresente Provas Sociais

Nosso cérebro busca a economia de energia. Ao ver provas sociais de pessoas que aprovam o produto ou serviço, nos conformamos em aceitar aquilo como legítimo e nos sentimos mais seguros para efetuar a compra. Também nos sentimos incomodados por não fazer parte do grupo de pessoas que aproveitaram seus benefícios.

“Quando as pessoas são livres para fazer o que quiserem, elas costumam imitar umas às outras.”
Eric Hoffer

Algumas táticas que podem trazer provas sociais para seu website:

Apresente outras pessoas que já usaram seu produto ou serviço. E se for uma pessoa famosa, o impacto é ainda maior, já que a imagem ativará rapidamente a familiaridade do rosto famoso e ativará nossos neurônios-espelho – um grupo de neurônios responsável por nossa tendência a “copiar” comportamentos (mais uma estratégia de economia de energia do cérebro);
Mostre, em números, quantas pessoas foram atendidas pela sua marca. Possui um portfolio? Que tal colocar em destaque algo como “Lançamos 72 websites no ano passado”. Assim, o cérebro interpreta algo como “nossa, eles devem saber bem o que estão fazendo”;
Apresente testemunhos de clientes – se possível em vídeo (com um texto complementar), sempre dentro da apresentação do produto ou serviço, contextualizando;
Se você possui algum estudo ou estatística que ateste seu produto ou serviço, para que guardar para si mesmo? Exiba com orgulho para seus usuários que interpretam estudos e pesquisas como verdades científicas incontestáveis;
Análises de produto e avaliações dos usuários aumentam incrivelmente a confiança em sua marca. Não é à toa que existem tantos blogs e portais especializados. Muitas lojas virtuais também já exibem publicamente as avaliações dos consumidores, mesmo que negativas, mas que reforçam confiança na marca.


2. Mostre Reconhecimento

A virtualização das coisas prejudica a forma como o cérebro acredita em sua marca. As coisas tangíveis são preferidas pelo cérebro, e a Internet possui a limitação de trabalhar apenas alguns de nossos cinco sentidos. Por isso, busque os 6 fatores de credibilidade: criatividade, destemor, paixão, integridade, acessibilidade e expressividade, utilizando as seguintes táticas:

Prêmio IBest
Prêmio iBest recebido pelo Portal Itnet

 

Saiu na mídia? Mostre com orgulho as reportagens e veículos de comunicação que divulgaram sua marca, produto ou serviço;
Utilize o aval de especialistas. Isto cria uma espécie de “aura” no seu produto que causa uma forte impressão positiva. Lembre-se daquela pasta dental que diz que 9 em cada 10 dentistas recomendam.
Mostre seus número das redes sociais de seu serviço ou produto específico. Números mostram claramente que muitas pessoas estão falando de seu produto, e seu cérebro interpreta, inconscientemente como “nossa, isto foi postado no Twitter 86 vezes? Deve ser bom…”;
Utilize widgets das redes sociais que, de preferência, exibam rostos. O cérebro adora rostos e reconhece como pessoas reais aprovando-o;
Mostre prêmios, certificados, selos de certificação, selos de associação. Exponha-os todos juntos como uma espécie de mural de reconhecimento, reforçando suas credenciais de segurança.

3. Demonstre a recompensa

Nosso cérebro é movido por recompensas. Elas ativam o sistema de prazer do cérebro e aumentam a probabilidade de repetição de um comportamento. Apresente claramente a recompensa que seu usuário terá ao adquirir seu produto ou serviço.

Recompensa financeira: retorno de investimento, economia de dinheiro ou aumento de recebimentos. Todos eles mensuráveis;
Recompensa estratégica: melhorias de qualidade, diversificação de produtos, ciclos de venda menores, acesso a novos mercados. Não pode ser traduzido em valores financeiros;
Recompensa pessoal: Quando seu cliente ou seus colaboradores experimentarem mais diversão, tranquilidade mental, realização pessoal, satisfação pessoal.

Fontes: Imasters, e Fernando Kimura.